27 de set de 2010

Robalo recheado com farofa de camarão



Bem, começo aqui a seguir uma série de receitas de Chef´s Pernambucanos fazendo algumas adaptações de acordo com o que tenho mais próximo as mãos aqui em Sampa. As receitas  encontrei  no site do JC Online (Jornal do Comercio) na parte de Gastronomia (http://jc.uol.com.br/canal/gastronomia/index.php), popular jornal do Recife.

Durante as próixmas semanas seguirei as seguintes receitas:

Cioba recheada com farofa de camarão (Por chef Flor, do Poseidon )
Chef do Bistrot du Vin ensina a fazer frango recheado
Chef Leandro Ricardo ensina receita de frango marinado
Risoto de frutos do mar (Por Silvio Romero e Claudia Freyre, do Due)
Quina Suzuki (Por André Saburó Matsumoto, do Quina do Futuro)
Moqueca de peixe (Por Roseno Victor, do Bargaço)
Yakimeshi Quina do Futuro (Por André Saburó Matsumoto, da Taberna Japonesa Quina do Futuro)

Vamos a receita de hoje.

Cioba recheada com farofa de camarão (Por chef Flor, do Poseidon )

Por não encontrar a querida Cioba por estas bandas e por também não encontrar o seu primo mais próximo (o Vermelho), optei pelo Robalo. Portanto, a receita é com o Robalo, que por sinal ficou muito boa também.

O tempo no forno também não consegiu seguir o proposto na receita pois o meu não foi tão eficiente assim e passei 30 minutos do combinado.

Mas garanto. Ficou show!!!!

Não sei o porque, mas hoje cozinhei ao som de Elvis. kkkkkkkkkkkkkk

Ingredientes

1 Robalo inteiro de 1,5 kg
1 cebola média picada
1 dente de alho picado
½ pimenta malagueta picada
2 colheres de sopa de coentro picado
1 colher de sopa de tomilho fresco
3 colheres de sopa de azeite
3 colheres de sopa de manteiga
150 g de camarão descascado
1 ½ xícara de farinha de mandioca
1 limão siciliano para decorar

A Peleja:

Limpe o peixe e reserve. Refogue a cebola, o alho, a pimenta e o coentro no azeite e na manteiga. Adicione o camarão e quando a carne mudar de cor junte a farinha de mandioca. Misture tudo formando uma farofa. Acerte o sal e perfume com o tomilho. Reserve. Preaqueça o forno a 220º. Esfregue o peixe, por dentro e por fora com azeite, sal e pimenta. Encha a cavidade do pescado com a farofa e prenda com palitos. Unte uma assadeira com azeite e leve ao forno por cerca de 15 minutos. Para testar o ponto do peixe, levante a pele e verifique se a carne está branca.

O passo a passo:

Na feira do bairro da Saúde a procura de um bom peixe:


O preparo da farofa de camarão:


O preparo:


Pronto!!!!

Inté!!

19 de set de 2010

Estrogonofe de Frango


Em busca da receita perfeita para um bom Estrogonofe de Frango, cheguei ao site do grande Olivier Anquier.

Gosto muito do jeito que o Olivier cozinha, sempre descomplicando o mais complicado. O detalhe da maçã me deixou curioso pois sempre segui receitas de Estogonofe sem este ingrediente. Apesar de ser algo muito simples e que muitos que tem o dom já imaginavam que este sabor existisse dentro do Estrogonofe, fiquei de cara.

Na verdade acredito que o dom se ganha depois de muita peleja. Desta forma, acredito que serei o maior fazedor de Bolo de Rolo do mundo, pois esse dom tá difícil de chegar...kkkkkkk

Como disse  Albert Einstein "A alegria de ver e entender é o mais perfeito dom da natureza."

Vamos a receita que ficou show.

Ingredientes:

1 kg de filé de frango
800 ml de creme de leite
2 colheres (sopa) de shoyo
2 cebolas médias
3 dentes de alho
Pimenta-do-reino a gosto
Sal a gosto
100 ml de molho de tomate
100 ml de vinho branco seco
1 colher de chá de vinagre de sua preferência
3 colheres (sopa) de manteiga
1 colher (sopa) de óleo
3 maçãs vermelhas
200 g de cogumelos frescos
1 cubo de caldo de galinha

Prepare assim:

Corte o frango em cubos e tempere com pimenta-do-reino e alho.

Em uma panela coloque 1 colher (sopa) de manteiga, óleo e doure a cebola picada;

Acrescente as maçãs e deixe dourar, acrescente o frango e deixe fritar bem.

Coloque o restante dos ingredientes: shoyo, molho de tomate, vinho, vinagre e esfarele o cubo de caldo de galinha;

Deixe cozinhando até secar um pouco do caldo;

Acrescente o creme de leite, diminua o fogo e deixe engrossar.

Em uma frigideira coloque 2 colheres de manteiga e coloque os cogumelos para fritar, quando estiverem macios retire e acrescente-os ao estrogonofe;

Se achar necessário coloque sal.

Acompanha um belo arroz.

Inté.

Fonte:
Olivier Anquier - Caderno de Receitas
http://www.olivieranquier.com.br/receitas/lista_receita.php

14 de set de 2010

Sopa de Cenoura


Bem, você sabia que a a sopa é considerado o prato mais antigo do mundo, anterior inclusive ao assado de carnes? Pois é, alguns estudiosos descobriram indícios dessa refeição antes mesmo da descoberta do fogo.

Aí eu me pergunto: Essa informação faz alguma diferença? Não!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Hoje, simplesmente me bateu uma vontade danada de tomar uma bela sopa e assim parti a procura de uma receita que não me desse tanto trabalho e que tivesse um sabor impar.

Pois bem, segue a receita. O sabor do gengibre deu o toque especial.

Ingredientes:

1 pedaço de gengibre com mais ou menos 3 dedos de largura
1 tablete de caldo de carne
1 colher de sobremesa de mel
1 caixa de creme de leite
1 litro de água
4 cenouras
1 cebola média picada

A Peleja:

Cozinhe em 1 litro de água as quatro cenouras picadas, a cebola picada, a gengibre picada. Quando ferver, coloque um tablete de caldo de legumes. Depois de tudo cozido, bata no liquidificador e coe.

Na panela, no fogo baixo, coloque uma colher de sobremesa de mele vá colocando o caldo já batido. Aumente o fogo e, em seguida,coloque uma caixinha de creme de leite. Vá mexendo bem sem deixar ferver. Está pronta, agora é só servir.

Inté.

11 de set de 2010

A moqueca de uma pernambucana na legítima e incrível panela de barro capixaba



Há mais ou menos um mês, fiz às pressas uma receita de moqueca de peixe com camarão da minha cabeça. O resultado ficou razoável, mas ainda faltava uma certa dedicação da minha parte ao prato. No dia seguinte a essa primeira tentativa, recebi um telefonema de Nando e Anna, um casal de amigos pernambucanos e queridos vizinhos cobaias das minhas receitas aqui em sampa, eles estavam em Vitória (ES) e queriam me informar que trariam um presente de lá. Pois bem, eis que ganhei deles uma legítima panela de barro capixaba. Fiquei muito feliz e pra lá de agradecida.

Bom, por isso, eu tratei de me empenhar no preparo de uma moqueca de peixe com bastante dedicação em agradecimento ao casal. Uma difícil tarefa, por sinal, já que os dois voltaram recentemente de Vitória após provar e aprovar moquecas das mais diversas por lá, inclusive uma de banana da terra. De qualquer maneira, é tentando que se aprende. E é tentando de novo e de novo, que se aprimora uma receita. Ao menos, tento acreditar nisso. Por isso, vamos lá à moqueca.

O que eu uso?

1kg de peixe em postas (usamos cioba e pargo porque não tivemos muita opção)
400g de camarões descascados cozidos
4 colheres de polpa de tomate
2 cebolas grandes picadas em cubos
4 tomates fatiados
3 dentes de alho picados
1/2 pimentão vermelho e 1/2 pimentão amarelo em rodelas
1 colher de sopa de azeite de dendê
100ml de leite de coco
Cebolinha e salsinha picadas a gosto
Azeite de oliva
2 limões
2 pitadas de pimenta calabresa
Sal e pimenta do reino a gosto

Como eu faço?

Separe as postas de peixe em um recipiente com limão, sal e pimenta do reino por 15 minutos. Faça o mesmo com os camarões em outro recipiente. Forre o fundo a panela de barro com azeite, cebola, tomate, cebolinha e salsinha. Disponha as postas de peixe e cubra novamente de verduras.



Acrescente a polpa de tomate, sal e pimenta do reino. Tape a panela e deixe cozinhar por 15 minutos em fogo baixo. Abra a panela e acrescente o dendê, os pimentões em rodelas, a pimenta calabresa, mais salsinha e deixe cozinhar por mais 10 minutos em fogo médio.



O próximo passo é acrescentar o leite de coco e os camarões. Deixe cozinhar por mais 5 minutos. Antes de terminar, verifique como está o sal no molho e o cozimento do peixe. Para finalizar, acrescente mais cebolinha picada e sirva bem quente.



Ahhh! A panela de barro é fantástica, vale a pena ter uma, vai manter o prato bem quente, coloquei na mesa e quando destampamos ainda borbulhava.



A moqueca acompanhou arroz branco com aroma de ervas e uma boa conversa entre amigos.

Obrigada, Nando e Anna, pelo belo presente e pela companhia.

6 de set de 2010

O Pão Integral de Linhaça



Bem, no ano de 2000 tive uma experiência um tanto radical na gastronomia, uma época onde a minha semana se resumia a jogar Capoeira na UNICAP (Universidade Católica de Pernambuco) com o grande Mestre Corisco e trilhas de bike aos domingos (na mata de Brennand) com o grande irmão e amigo Plínio Uchoa.

Uma época onde aprendi muito sobre saúde e bem estar. Digo que tinha uma ótima qualidade de vida para aquele momento, pois qualidade de vida depende apenas de você, ou seja, você tem que estar no lugar certo, na hora certa e o mais importante, querer estar lá. Esse foi o meu momento no ano de 2000, Capoeira e Bike, momento impar em minha vida.

Radicalizei um pouco, confesso, pois parti para a Macrobiótica (durante um ano) que enfatiza uma alimentação a base de cereais integrais cultivados localmente, legumes e produtos de soja fermentada, combinados em refeições pelo princípio das propriedades do yin e yang.

Foi ai que conheci intimamente o Pão Integral, onde praticamente era meu lanche da tarde de todos os dias acompanhado com um belo mel de abelha.

Desta forma, passo pra vocês uma receita que não é tão radical quanto a Macrobiótica (que admiro até hoje) mas que trás sabores inigualáveis e que fazem você se sentir no lugar certo, na hora certa ao degustá-lo.

Ingredientes:

600 gramas de farinha de trigo branca
400 gramas de farinha integral
10g de fermento biológico instantâneo
550 ml de água morna
60 gramas de manteiga
20 gr de sal
4 colheres de sopa de açúcar mascavo
4 colheres de semente de linhaça
1 ovo.

Obs. O Pão Integral para a Macrobiótica é bem mais radical e a manteiga  passa longe.

A Peleja:

Misture os secos (Farinha de trigo branca, Farinha de trigo integral e o fermento biológico).

Depois de conseguir uma mistura homogênea acrescente a água morna aos pouco e vá fazendo a argamassa até você conseguir uma massa que não grude nos dedos.

Na sequencia acrescente o sal e depois de misturar mais um pouco vá adicionando o açúcar mascavo e as sementes de linhaça.

Adicione a manteiga (importante que ela esteja mais do que a temperatura ambiente para misturar rapidamente). Neste caso, tirei da geladeira e levei por 20 segundos no microondas. Atenção, ela não pode ficar líquida, apenas amolecida.

Depois de amassar a massa buscando uma forma homogênea deixe descansar coberta com um pano por 30 minutos para que o fermento faça seu trabalho. Você vai perceber que a massa praticamente dobra de tamanho.


Coloque a massa em duas formas de pão (a quantidade dá exatamente para duas). Ou se preferir coloque a massa inteira em uma assadeira comum.

Usei a assadeira de teflon para não ter o trabalho de untá-la.


Pincele a massa com uma mistura de um ovo com um pouco de água , conhecido como egg wash, para dar aquele brilho na parte superior do pão.

Jogue um pouco de linhaça sobre o pão e leve ao forno a 290 graus por 45 minutos.

Como diz o bom Pernambucano: Pronto!!!!


Inté.