13 de fev de 2010

Evoé Seu Cardoso



Estamos em pleno sábado de Zé Pereira e após três anos sem subir e descer as ladeiras da querida Olinda me pego nesta época filosofando demais aqui em Sampa.

Essa semana passei rapidamente pela Oscar Freire e ao avistar a grande ladeira da Rua Augusta em direção a Av. Pauliusta (esquina com a Oscar Freire), pensei com meus botões do paletó:

“Eita ladeira boa pra subir frevando, nesse calor de quase 40 graus”.

Nesta época muitas das lembranças que tenho se repetem, mas este ano fui além e cheguei ao meu Carnaval de 1988.

Lembrei de Seu Cardoso, um morador simpático da Rua do Amparo, que em uma bela noite teve um sonho onde seus antepassados, que eram índios, o ensinavam a preparar uma bebida tradicional de sua família chamada de:

"O Pau do Índio”.

Se eu vi Seu Cardoso mais de duas vezes em todos os anos que passei Carnaval em Olinda foi muito, mas sua bebida, para não dizer “O Pau do índio” já tomei bastante.

A tal da bebida, além do pó de guaraná, leva em torno de 32 ingredientes. As ervas utilizadas são da região e ficam em infusão durante aproximadamente 30 dias. Depois outros ingredientes são adicionados à mistura: gérmen de trigo, cana de cabeça, açúcar e aroma natural, chegando assim a um teor alcoólico quase da cachaça normal.

Se Seu Cardoso ainda está vivo, confesso que não sei, mas quanto ao “Pau do Índio”, com certeza ainda está presente em todos os carnavais de Olinda.

Muito estranho o que vou falar, mas me dou este direito em um grande momento melancolia:

“Eita saudade do Pau do Índio!!!!!!!!!!!!”

Evoé Seu Cardoso!!!!!
Evoé: Expressa entusiasmo, exaltação, intensa alegria.

Inté!!!!!!!!

Um comentário:

  1. Ja eu nao posso dizer o mesmo. Além de ter ido pro Galo e passar o carnaval em olinda, nao sinto nenhuma falta do pau do indio.
    Parece que o calor de sao paulo nao tá fazendo bem ao meu amigo lula... Vá cozinhar, vá amigo. Vá cozinhar que passa...
    Beijo,
    Galego

    ResponderExcluir